Correção de sorriso gengival com diferentes abordagens

A Madalena não gostava do aspeto do seu sorriso, mas o problema não eram os seus dentes – mas sim a gengiva.

 

Quando sorria, a quantidade de dentes visíveis em comparação com a quantidade de gengiva exposta era muito pouca. Um caso a que chamamos de sorriso gengival.

“A Dra. Alexandra explicou-me que as minhas gengivas eram mais compridas que os meus dentes, as dimensões não estavam corretas”, disse a Madalena, com 17 anos.

Para corrigir esta situação, teria de se cortar a quantidade de gengiva excessiva com laser, deixando os dentes mais descobertos. Foi isso que fizemos – ilustramos na imagem abaixo:

 

Artigo MD Clínica | Tratamento Sorriso Gengival
Recorrendo à tecnologia Laser removemos a quantidade excessiva de gengiva.

 

A Madalena recorda-se que “estava com um pouco de medo que doesse, mas depois, tal como a Dra. Alexandra me explicou, fazer com o laser não sangrou e não doeu absolutamente nada. Agora toda a gente comenta o meu novo sorriso.”

 

Madalena Antes e Depois | Tratamento sorriso gengival
11 meses depois, o novo e orgulhoso sorriso de Madalena

 

Quais as causas do sorriso gengival?

Na realidade, o sorriso gengival pode ocorrer por três razões:

1) Excesso de gengiva a cobrir os dentes

2) Lábio curto com um musculo elevador do lábio superior muito poderoso

3) Discrepância óssea severa em termos de comprimento.

 

O sorriso ideal não deve mostrar mais do que 2 mm de gengiva no sorriso máximo. Acima dos 4 mm a aparência já é de sorriso gengival.

Estudos apontam para que este caso afete 14% das mulheres e 7% dos homens. Contudo, a prática clínica da Dra. Alexandra ilustra maior ocorrência: “Tenho muito mais do que isso. Muitas vezes o paciente nem dá conta. Só me diz que não gosta do sorriso, mas não percebe que é por mostrar muita gengiva”.

 

 

Tratamentos mais acessíveis

No passado, a cirurgia era a opção de tratamento mais comum. Era uma alternativa não só dispendiosa, como muito dolorosa pois exigia vários dias de recuperação.

Hoje em dia, a Dra. Alexandra refere que as opções disponíveis são bem mais acessíveis:

  • “Se o problema está no elevar muito o lábio, usamos Toxina Botulínica (botox).
  • Se o problema é excesso de gengiva a cobrir os dentes realizamos uma gengivectomia com laser. Ambos muito fáceis, rápidos, sem dor e de custo não muito alto.
  • Se o problema estiver na discrepância óssea acentuada, podemos realizar a gengivectomia e a injeção com toxina botulínica para melhorar 80%. Se a paciente procurar os 100 % de eficácia terá de optar por cirurgia ortognática.”

 

 

Injeções com Toxina Botulínica

Ao longo dos últimos anos de prática clínica, a Dra. Alexandra tem realizado cada vez mais injeções com Toxina Botulínica (Botox) para corrigir o sorriso gengival.

O Botox é injetado no músculo elevador do lábio, fazendo com que este músculo relaxe e não contraia demasiado. “Ao sorrir, o lábio não consegue subir demasiado, mas só o normal: dura 4 meses e leva 1 minuto a realizar.”

E este foi o caso de Tânia.

Tânia, 30 anos, tem feito este tratamento 3 vezes ao ano: “O aspeto do sorriso gengival era algo que eu não gostava mesmo… E quando tirava fotos já forçava não sorrir muito para não elevar o lábio. Agora só tenho de esperar 3 dias depois da injeção e os resultados aparecem, faz toda a diferença!”

 

Correção Sorriso Gengival com Botox
Correção de sorriso gengival com Botox.

 

Segundo a Dra. Alexandra Marques, e em tom leve, “os médicos só têm que ter atenção a não usar uma dose muito alta para os pacientes não ficarem com ar de Joker! Tudo tem de ficar natural.”

 

 

Se pretende corrigir o sorriso gengival, marque consulta com a MD Clínica.